Escândalo de abuso sexual causa prejuízo de R$ 124 mi à Netflix

Um rombo de R$ 124,8 milhões (US$ 39 milhões) faz parte do último relatório financeiro da empresa de entretenimento Netflix, por conteúdo não exibido pela companhia. Apesar de a empresa não citar Kevin Spacey e Louis C.K., dois diretores que tiveram a exibição de seus projetos cancelada, Netflix confirmou que as acusações de abuso contribuíram para a decisão. As informações são da NBC. 

Produtores freqüentemente precisam cancelar projetos por diferentes motivos, como baixa qualidade ou a falta de um talento, mas as denúncias contra os profissionais foram graves. “Nós não tínhamos enfrentado uma situação com tal magnitude e relacionada a abuso sexual”, informou o chefe de finanças David Wells.

Spacey estava trabalhando em projeto para a Netflix sobre o autor Gore Vidal, na Itália. A produção foi cancelada após acusações de abuso feitas pelo ator Anthony Rapp. A produtora MRC, responsável pela série House of Cards, na qual Spacey é protagonista, também suspendeu as gravações.

O caso do comediante Louis C.K., escalado para fazer um show de comedia stand-up para a Netflix, vai mais longe: mulheres declararam ao New York Times que o profissional tinha comportamento sexual inadequado. Louis C.K. foi afastado dos projetos de TV e filme. Apesar do gasto inesperado, a empresa de entretenimento continua a crescer, ganhou mais de 8 milhões de inscritos no último trimestre de 2017, totalizando mais de 117 milhões em todo o mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *